segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

angra

o topónimo Angra, que os portugueses espalharam pelas costas oceânicas, é praticamente inexistente em Portugal Continental. apenas conheço duas "Angrinhas", no Algarve. as "Angras" são frequentes nos Açores e no Brasil. há um rio Angra, na costa africana ocidental, o que prova que o seu nome foi dado "de fora para dentro", isto é, de quem chegou a terra ido do mar. aliás, todos os topónimos "Angra" foram criados por quem entra em terra ido do mar.
"angra", que parece provir do lat. ancora, é uma reentrância do mar entre duas pontas de terra, mais adentrada que porto e menos que baía; o mesmo que "calheta", "pequena enseada"; ancoradouro".
em latim, ancora/ae, tanto significa "âncora" como "refúgio", "amparo".
o facto de este topónimo praticamente não existir em Portugal Continental faz pensar que terá entrado para a Língua através de um léxico marinheiro importado. é sabido que muitos dos marinheiros das descobertas portuguesas eram de outras proveniências, como a Galiza, o País Basco, a Catalunha, Veneza, Florença e Génova.

3 comentários:

calidonia disse...

E calheta (diminutivo?) estará emparentada com calhão (esp. 'callao', gal. 'caión') ou com esp. e gal. 'cala'?

Se assim for é curioso referir uma palavra uma 'saínte' da costa e outra palavra um 'entrante'...

Castela disse...

Já ca não vinha à algum tempo, mas continua com óptimos artigos. E nós ambos de Coimbra...

o viajante disse...

para Calidonia: respondo no post seguinte. obrigado.