sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

os fitotopónimos e os topónimos "Mação", "Maçãs", "Macedo", "Maceira", "Manzanares" e Cª.

na senda dos pseudo-"fitotopónimos", há um grupo que há muito tempo me desafia. é o grupo Mação, Maçãs, Macedo, Maceira, Macieira, Macinhata, e assim por diante. neste particular, praticamente todos os autores que consultei vão pela tese da árvore das maçãs, chegando alguns a esgrimir o argumento do "óbvio". ora eu não conheço nada que seja menos óbvio que as coisas "óbvias". escusado será dizer que nunca acreditei nessa possibilidade, porque em muitos outros lugares há melhores e mais saborosas maçãs, que lhes poderiam dar com mais propriedade tal nome.
alguns autores, pouquíssimos, nos quais me incluía eu próprio, ainda admitíamos a possibilidade de uma relação com "mansio/ -onis": "morada", "habitação", "residência"; "pousada", "estalagem", "albergue". o busílis da questão era, e é, o "s" de mansio, porque nenhum destes topónimos nas suas variantes passadas, presentes e interlinguísticas admite o "s", mas sempre o "c" e seus equivalentes "z" ou "ç". por exemplo, Macieira da Lixa era, no séc XI, uilla Mazanaria. logo, há que buscar outra origem para esta família tão mal conhecida e tão precipitadamente rotulada.
a tese da árvore das "maçãs" como origem destes topónimos também é largamente dominante nas Espanhas de falas galego-portuguesa, castelhana e catalã, onde encontramos, entre muitos outros, Maçaeda (Gz.), Maçana (Cat.), Maceda (Gz.), Macedo (Gz.), Maceira (Gz.), Maceiras (Gz.), Macian (Cas.), Macieira (Gz.), Macinheira (Gz.), Macinheiras (Gz.), Mancegal (Gz.), Mancinheiras (Gz.), Manzanal (Cas.), Manzanares (Cas.), Manzanas (Cas.), Manzaneda (Cas.), Manzanedo (Cas.), Manzanera (Cas.), Manzaneruela (Cas.),...
curiosa é a "Maçana" catalã, já que em Catalão maçã se diz "poma".
vamos a ver: "Mação" tem por si a ribeira de Mação; "Maçãs de D. Maria" tem por si a ribeira de Maçãs; na Espanha de fala castelhana, mais propriamente em Madrid, há o rio Manzanares. em Macieiras que eu conheço há lugares do Ribeiro e lugares das Veigas.
não há dúvida, são ribeiros, regatos, riachos, arroios e veigas a mais.
diz-se que estes topónimos provêm do latim mattiana, de onde deriva "maçã". mas em latim maçã dizia-se malum/ -i - de onde os nossos ossos malares, que dão forma às "maçãs do rosto".
mas ainda que assim fosse, se estes topónimos derivassem de mattiana, como explicaríamos então as formas Mancegal, Mancinheira, Manzanas, Manzanares, que pressupõem um étimo em MNTi?
já vimos que por estes lugares abundam ribeiros, veigas, mananciais. ora, em latim a coisa diz-se manatio/ -onis (corrimento, corrente de água). e cá está: MNTi.
mais um saltinho às Espanhas: encontro Manantial (Cas.), Manantiales (Cas.), Manantials (Cat.), Manantio (Cas.).

fitotopónimos?

ou serão "lugares onde corre [muita] água"?


Maçã
Mação
Maçãs
Maçãs de D. Maria
Maceda (Pt. e Gz.)
Macedo (Pt. e Gz.)
Macedo de Cavaleiros
Macedo do Mato
Macedo do Peso
Macedos (Pt. e Gz.)
Maceira (Pt. e Gz.)
Maceira do Liz (Mecenaria, Macenaria – sec 13, Maçanaria)
Maceiras 
Maceirinha
Maceiro (no séc XI: Mazanario)
Macieira da Lixa (no séc. XI: uilla Mazanaria)
Macieira de Alcoba
Macieira de Cambra (Maceneyra, séc- XII; Maceeira, séc-XIV)
Macieira de Rates (Mazieira, séc XIII)
Macinhata da Seixa
Macinhata do Vouga
Manção
Mancelos
Manços
Praia das Maçãs
Rego de Manços
Ribeira de Maçãs
Ribeiro de Mação
Rio de Maçãs 
Rio Maceiras (Gz.)
Vale de Manços


7 comentários:

O disse...

Viajante, saudações.
Também pode ser que algum Maç* possa derivar de maço, moinhos de batão foram chamados de maços, a carão dos rios, e mesmo algum rio é chamado na galiza rio do maço, inclusive a maçã pode ser que receba esse nome pois é maçada para dar o que foi ou ainda é no norte importante bebida: a sidra.

o viajante disse...

em relação à questão dos moinhos, pode ser em algum caso, não em todos. quanto à maçã, nem com sidra.obrigado pelo contributo.

Xosé Febrero Bande disse...

Os meus pais son de Castrelo do Minho, parroquia -ou freiguesía- de Macendo, lugar da Ermida. Alá hai unha ermida adicada ao Santiago, e Castrelo corresponde a un castro sobre o que fixeron unha Igreja. Máis 'Macendo'... alá non hai máis maceiras que na contorna, e tamén, non lonxe, hai 'Pumares' que seica ven do latín, e de como se chamaban as maceiras. Agradecido polo seu trabalho.

raposas disse...

muito bom dia Sr. José, sou proveniente da vila de Mação,o que tem a dizer sobre se Mação não poderá estar no antigo português "maçom" (pedreiro, canteiro,alvener) do latim vulgar macione - machio-nis de origem germânica correspondente ao francês maçon e antigo provençal masson de igual sentido. Na Idade Média, o termo masson designou o simples artifície ou o director, ou o mestre de obras, o arquitecto.
Num documento de D. Sancho I (1194), pode-se ver " aldeia do maçõ " e em documentos posteriores "maçom" e a partir de 1527 já se vê "Mação".
Obrigado pelo seu excelente trabalho. Bem haja.

Francisco Santos disse...

Maçã, concelho de Sesimbra.

Ricardo Ferrão disse...

Boa noite,

Porque não associar estes topónimos ao radical árabe massa que significa caminho?
Miguel Conde menciona neste trabalho, https://repositorio.uac.pt/bitstream/10400.3/474/1/ManuelSConde_p353-385.pdf, que esse mesmo radical encontra-se em Assamassa. Pode parecer forçado mas foneticamente tem grandes parecenças com os topónipos listados no seu artigo aos quais pode-se incluir também Almaça (situada perto de Oliveirinha do Mondego, na albufeira da barragem da Raiva no rio Mondego).

Cumprimentos e as minhas felicitações pelo seu excelente trabalho.

josé cunha-oliveira disse...

boa tarde. antes de mais, obrigado pelo comentário.
a dificuldade da sua sugestão está na origem das grafias em "ss" e em "ç". a grafia em "ç" impõe uma origem no fonema "tia" em latim. e em segundo lugar há a dificuldade da terminação em "ão" /"ana", que não condiz com o contexto de "caminho".