terça-feira, 11 de novembro de 2008

agrolongo, longos, longos vales, longroiva, monte longo

trata-se de etnotopónimos, que se reportam aos "Longos", "Lónicos", "Luancos" ou "Lyncos", tribo proto-histórica cujo animal totémico era o lince. a sua divindade principal era Deo Vestio Lonico, "o divino Vestio dos Longos". a notícia epigráfica e toponímica deste povo estende-se da bacia do Douro português até às províncias galegas do sul.


no caso de "Longroiva" (Longobriga), o topónimo significa "o castro ou fortaleza dos Longos" - indicando, pelas suas particularidades linguísticas, a presença dos Longos já no período celta.
todos estes topónimos estão em cima ou junto de castros pré-romanos. no caso de Santa Cristina de Longos, concelho de Guimarães, o castro é o de Sabroso, notável pelo aparelho das muralhas, de uma precisão milimétrica.
a memória dos Longos e de Vestio Lonico parece persistir no culto de "São" Longuinhos, no escadório do Bom Jesus do Monte, em Braga. segundo uma lenda, Longuinhos (Longuinus) teria sido o soldado romano a quem coube a tarefa de dar o golpe de misericórdia na execução de Jesus-o-Cristo. sendo, pois, uma personagem do pré-cristianismo, Longuinus é o pagão que se converte, incorporando-se pacificamente na nova religião. é representado na figura equestre de um centurião romano.
o seu culto tem aspetos muito arcaicos, ligados à fertilidade. no Brasil, São Longuinhos é o patrono dos objetos perdidos ("São Longuinhos, São Longuinhos, me ajude a achar a minha chave e eu darei três pulinhos").

2 comentários:

O Galaico disse...

Muitíssimo obrigado por esta valiosa descrição.

Agradeço-lhe imenso a atenção e vou adicionar o seu blogue aos meus links de interesse.

Cumpimentos!

igor disse...

O nome de "Alongos", em Ourense, concelho de Toem, também terá esta origem?

Saúdos, e parabéns por um tam interesante blogue.

i
(gor)