domingo, 25 de junho de 2006

Topónimos terminados em "-mil"



não seriam muitos, mas não há dúvida que vieram para possuir a terra. ao contrário dos romanos, que administravam territórios com a cobertura do poderio militar (sendo proporcionalmente poucas as villae, quintas ou fazendas de romanos de raiz), os novos senhores germânicos instalaram-se aqui para fazer da nossa terra a terra deles tamém. como senhores, é bom de ver. a toponímia galego-portuguesa não me deixa mentir: os "...ar", "...ães", "...ufe", "...ulfe", "...inde", "...ende", "...iz", e agora os "-mil", não serão milhares mas são realmente muitos. traduzem uma vivência rural, uma opção pelo campo em desfavor das cidades - onde os romanos vencidos tinham preferido viver até então. colapsam as "Bragas" e "Idanhas", desaparecem cidades, perde-se o fio à meada no Itinerário de Antonino. a vida retorna à terra-mãe, ao seio da natureza. as relações de poder de tipo administrativo passam agora para relações de poder de carácter ético e moral.
da língua deles, incompreensível a nativos e romanos (que lhes chamavam bárbaros, por causa do blá-blá inentendível que soltavam das goelas), restam estes topónimos no genitivo latino: "(propriedade) de f..."
aprenderam o latim, mas como os romanos já não mandavam para os corrigir, o latim deles, mais o dos nativos, deu em galego-português. e não está nada mal, ficou até legal. bem melhor que o inglês, que o diabo o fez (*).

alguns exemplos:

Argomil -
Bermil (Gz.) - de "Belmir", actual "Belmiro"
Candamil (Gz.)
Candemil (Pt.)
Castromil
Contomil (Gz.) - ver Contumil
Contumil - tem muitas variantes dialectais, em Portugal e na Galiza.
Contumilo - ver Contumil
Cregimil (Gz.) - ver Creixomil
Creixomil - possível origem germânica (?). de Cristemir(u)? de Crexemir(u)?
Enchemil
Fermil
Germil (Pt. e Gz.) - genitivi de "Gelmir"
Gondomil (Pt. e Gz.) - ver Contumil
Gontomil (Pt.) - ver Contumil
Guadramil (Pt.) - genitivo de um antropónimo germânico
Guntimil (Gz.) - ver Contumil
Guntumil (Gz.) - ver Contumil
Lantemil
Lentemil (Gz.) - ver Lantemil
Lentomil (Gz.) - ver Lantemil
Leomil - genitivo de "Leomir"
Leomir - ver Leomil
Quindimil (Gz.)
Saamil (Gz.) - ver Samil

Samil (Pt. e Gz.) - ver Comentº. (pronunc. "Sàmil"). genitivo de antropónimo germânico: "Salamiro", de "sala"+"mereis"

Sandomil (Pt. e Gz.)

Sangemil - genitivo de antropónimo germânico. aparece também sob as formas "Sanjomil" (Pt.) e "Sanjumil" (Gz.). não vai há muito muito tempo que vi o nome das termas de Lageosa do Dão grafado "S. Gemil"

Vermil (Pt.) - ver Bermil





...............................................................................................................
(*) tendo em conta que essa erva-daninha se tornou obrigatória nas culturas em Portugal desde a escolaridade básica, e que já ninguém é capaz de escrever coisa que se veja senão nessa espécie de língua, calcula-se que as próximas Comunicações de Ano Novo dos senhores Presidente da República e Primeiro Ministro sejam proferidas em Inglês, para poupar dinheiro ao Défice e evitar calinadas, pontapés na gramática e os inefáveis "controlos" e "impactes".

7 comentários:

Jo Lorib disse...

Essa praga não invade apenas o nosso idioma, com o rabo do olho e o ouvido doendo vejo nas televisões francesa e italiana usarem-se termos como 'week-end' e 'breakfast' como se fosse um termo nativo. Mas fazer o que?

o viajante disse...

é. mas a França tem uma política de francofonia que chega (e abrange) todos os países e regiões de língua francesa. gosto de ver a TV5 e a maneira como agrupa e congrega todos os falares de língua francesa.
o que temos aqui? há uma "RTP África" de fugir, olha-se de canto pro Brasil, confunde-se Galiza com Espanha, galego com castelhano, e assobia-se pro lado.
pra cúmulo, vem agora essa obrigatoriedade do inglês desde o primeiro ano de Escola. por que não desde a maternidade? por que não chorar logo em inglês?
sobre a Galiza, tenho uma guardada na memória: um colega meu foi há uns anos à Galiza. veio de lá espantado
- não é que os espanhóis têm uma política de turismo muito agressiva? até botaram as placas (informativas e toponímicas) em português!

Fil disse...

Eu vivo na freguesia de Samil, concelho de Bragança - mais um exemplo. Um abraço.

o viajante disse...

mas eu inda aí não cheguei. os "-mil" são muitos...
aquele abraço

prenes disse...

Deixo-lhe aqui dois sítios onde pode encontrar alguma informação sobre a origem do topónimo de Creixomil, uma é freguesia de Barcelos e a outra de Guimarães.

http://www.bcl.pt/?id=freguesias31
http://www.jf-creixomil.com/hist.htm

Espero que seja útil

o viajante disse...

eu sou natural da região de entre Ave e Vizela. conheço bem a zona.
não há grandes grandes certezas sobre "Creixomil", embora tudo indique que seja de origem germânica.
os topónimos em branco significam que ainda não me debrucei sobre eles.
mas agradeço sempre o informe.
volte sempre.

Anônimo disse...

Gostaria de saber o significado da palavra cristemir

Atenciosamente,

Cristemir Albuquerque
cristemir@webconsultoria.com