quinta-feira, 21 de setembro de 2006

Casas e Casinhas

a toponímia é um discurso sobre a oralidade. a passagem de um topónimo à escrita é fonte de imensos equívocos, hoje como ontem. as diferenças de pronúncia, por vezes subtis, tornam-se diferenças maiores quando passadas a escrito. veja-se o caso de "Caselhas" e "Coselhas". ainda mais perturbadora é a escrita do mesmo fonema em norma linguística diferente. escrever Casinhas ou Casiñas, assim como escrever Olivença ou Olivenza é exactamente o mesmo, mas não parece. a questão é que optar por uma grafia ou por outra significa uma escolha política prévia. se se está do lado da Meseta optar-se-á pelo ñ em lugar do nh, pelo z em lugar do ç e pelo ll em lugar do lh. e fica identificada a espécie de pessoa que escreve e o que pensa do mundo e de si mesma


Barracão (Pt. e Br.)
Cabana
Cabana de Bergantinhos (Gz.)
Cabanas (Pt. e Gz.)
Cabanas de Viriato
Cabanelas (Pt. e Gz.)
Cabaninha
Cabaninhas
Casa Branca (Pt. e Br.)
Casa do Sal
Casa Grande (Br.)
Casaínho
Casais (Pt. e Gz.)
Casal
Casalinho (Pt. e Gz.)
Casalta

Casa Nova (Pt., Gz. e Br.) - em basco ou euskera há o topónimo e sobrenome "Etcheberria", "Etcheverria", "Echeverria", "Etxebarria", que quer dizer, também, "casa nova". deste resultou
o topónimo navarro "Javier" (Xavier), origem deste nome e sobrenome, bem como do hagiónimo S. Francisco Xavier

Casas (Pt. e Gz.)
Casas Novas
Casas Velhas
Casa Telhada
Casebres
Casegas
Caselas
Casinhas

Catraia - pode fazer uma certa confusão a portugueses do norte, para quem "catraia" é o mesmo que "menina", "miúda", "moça muito jovem". mas aqui é o mesmo que "casinhota"

Catraia Cimeira
Catraia de S. Paio
Catraia de S. Romão
Catraia dos Poços
Catraias

Coselhas - uma das variante dos diminutivos de Casas : Casinhas; Casegas, Casicas; Caselas, Caselhas, Casillas (Cast.), Coselhas.

Mesão - em francês: "maison"
Mesão Frio - pronúncia "mesonfrio".
Mesonfrío (Gz.)
Palhaça
Palhais
Palheira
Palheiro
Palheiros
Palhoça (Br.)
Pousa (Pt. e Gz.)
Pousada (Pt. e Gz.)
Pousada de Saramagos
Pousadinha
Sá (Pt. e Gz.) - do germânico "Sala", passando por "Saa". em francês, "Salle"
Saa (Gz.)
Saavedra (Gz.)
Sala - ver Sá e Saa
Salas (Gz.)
Sás (Gz.)
Salzeda de Caselas (Gz.)


4 comentários:

D'Noronha disse...

Aqui no estado de Santa Catarina temos os municípios de Rancho Queimado e Palhoça. Barracão, no Paraná e Casa Grande em Minas Gerais.

Em Palhoça, há um movimento para que se mude o nome do município, visto que a cidade quer se projetar como centro turístico de gastronomia marinha e muitos acham o nome 'Palhoça' um entrave de marketing.

Grande abraço.

o viajante disse...

é. realmente "Palhoça" é daqueles topónimos destinados à rejeição. aí como aqui.
obrigado pelos contributos
um grande abraço

Ricardo Ferrão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ricardo Ferrão disse...

Caro viajante,

Antes demais quero dar-lhe os parabéns pelo seu blogue que me tem deliciado desde que existe.

Gostaria de deixar no ar outra possibilidade quanto à origem do topónimo "Catraia". Segundo um artigo inserido numa colectânea que publicada pela Câmara Municipal de Palmela, catraia designava um castelo de bandeira que suponho que seja uma torre de vigia de madeira. Ora tendo eu conhecendo apenas três localidades com este topónimo, a dos Poços, a de São Paio e a de São Romão, estando elas se situam situadas ao longo da linha d'água do Rio Alva e sabendo que este rio foi uma importante linha de defesa na época da reconquista que se estendia da Serra da Estrela, nomeadamente do Castelo de Seia, até Coimbra, parece fazer algum sentido.