sábado, 26 de janeiro de 2008

teixeira, teixoso, teixugueira

já em 1947 Miguel Torga escrevia (Diário IV, novembro): "andei há tempos várias léguas para ver um teixo, que é uma árvore que os botânicos dizem que vai acabar."
uma conífera já detectável no Jurássico, a taxus baccata ou teixo é uma espécie em vias de extinção pela mão do homem, ora retaliando pelas intoxicações mortíferas que o teixo foi causando no gado ao longo da História, ora caçando as aves que disseminavam as suas bagas vermelhas. o que fez com que o teixo fosse ficando confinado a territórios cada vez mais reduzidos. em Portugal, está praticamente limitado, hoje em dia, a certas zonas das serras do Gerês e da Estrela, em locais abrigados até 1500 metros de altitude,
e às Ilhas da Madeira e São Miguel. calcula-se que haja no Gerês português cerca de 8000 exemplares e cerca de 500 na Serra da Estrela. na Serra de Montesinho o teixo sofreu extinção recente.
a taxina, substância alcalóid
e presente em tudo o que é verde no teixo, é a responsável por aquela mortandade. mas, como quase tudo o que é veneno é também remédio, a taxina tem sido referenciada como uma possível substância terapêutica, sobretudo um dos seu componentes, o taxol, que lhe tem valido alguma atenção por parte da Indústria Farmacêutica.
árvore de pequeno-médio porte, mas podendo atingir 10, 15 ou mesmo 20 e até 25 metros de altura, o teixo goza de uma longevidade proverbial, de uma verdura perene e de uma enorme resistência a secas, fogos e pragas. isso tornava-a uma árvore sagrada para os celtas e um símbolo da imortalidade, da ressureição ritual, da sabedoria e da inteligência. segundo uma lenda, a cruz onde foi executada a sentença de Jesus Cristo era feita de teixo, o que a torna num instrumento simbólico da ressurreição e imortalidade do Filho de Deus. ainda hoje é a árvore dos cemitérios, em alguns países nórdicos. os druidas usavam a madeira de teixo para nela gravarem os seus escritos ogâmicos.
diz-se que no Monte Medulio as mães galegas, à vista das legiões romanas, envenenaram os seus filhos com brotos e raízes de freixo para que não ficassem sob o jugo de Roma. daí que o freixo possa ser considerado tamém um símbolo da Galiza. como, porém, o Monte Medulio tem sido localizado próximo do Rio Minho, ora no Monte de S. Julião, perto de Tui, ora na Serra d'Arga, próximo de Viana do Castelo, o seu simbolismo é comum a toda a Grande Galiza.
o teixo pode atingir uma longevidade que ronda os 1500 e mesmo 3000 anos. em Portugal há alguns teixos classificados como de Interesse Público: o de Tranguinha, em Santa Maria, Bragança, com cerca de 700 anos; o da Quinta do Senhor da Serra, Belas, Sintra, com cerca de 200 anos; e o da Quinta de S. João, Teixoso, Covilhã.
quanto aos topónimos "Teixuga" e derivados, eles derivam de "teixugo" ou "texugo" e não de "teixo" (ver Comentº de Miguel).


A Teixeira (Gz.) . ver "Teixeira"
Quinta de Teixedas
Taxeira - ver Comentº de Gundibaldo
Teixe - ? - ver Comentº de Gundibaldo
Teixeda (Gz.)
Teixedelos (Gz.) - diminut. plur. de "Teixedo"
Teixedo

Teixeira (Pt. e Gz.) - ou "bosque de teixos" (selvagens, não plantados)

Teixeira de Abaixo (Gz.)
Teixeira de Arriba (Gz.)
Teixeira de Baixo
Teixeira de Cima
Teixeiras (Pt. e Br.)
Teixeiro (Pt. e Gz.)
Teixeiró - diminut. medieval de "Teixeira"
Teixelo - diminut. de "Teixo"
Teixidelos (Gz.)
Teixido (Gz.)
Teixieirinha - ver Comentº de Gundibaldo
Teixinho - diminut. de "Teixo"
Teixo
Teixoeira (Pt. e Gz.)

Teixogueira - ver Comentº de Miguel. é derivado de "teixugo", "texugo", não de "teixo". no entanto, quer em "Teixogueira" quer em "Teixogueiras", o "o" em lugar de "u" levanta algumas dificuldades. será mera disgrafia?

Teixogueiras - ver "Teixogueira"
Teixoso
Teixuga - ver "Teixogueira"
Teixugueira (Pt. e Gz.) - ver "Teixogueira"

Teixugueiras - ver "Teixogueira". a descrição feita por Miguel, nos Comentários, é brilhante.


6 comentários:

Miguel disse...

Olá de novo,
muito interessante, como sempre. Apenas um comentário. Acho que teixugas, teixugueira e teixugueiras vão ser mais bem zootopónimos, relacionados com os tobos ou tocos do mamífero que na Galiza e em partes de Portugal conhecemos como teixugo (Meles meles). Som tobeiras mui grandes e características (cada dias mais raras, por desgraça), têm várias entradas, de até mais de meio metro de diámetro, e o conjunto pode abranger mais de dez de metros quadrados. Os paisanos reconhecem mui bem quando pertencem a esta espécie e sempre escutei a palavra "teixugueira". Muitas vezes estão baixo penedos pequenos e a impressão é quase a dum estranho túmulo. Relacionado com estes está o topónimo português texugueira (dado que texugo é o nome mais espalhado ou quando menos mais "oficial" em Portugal). Na Galiza também é conhecido como porco-teixo.

Sobre o teixo, a árvore, tenho lido um livro que relaciona a forte diminuição de efectivos, acontecida já no passado, com o intenso uso para madeira de arco que se fizo na idade média, até o ponto de que o declive da árvore implicou o declive do uso do arco como arma de guerra (na altura, o arco de teixo dizque era muito mais rápido, potente e eficaz que as bestas e que as primeiras "espingardas") .
Um abraço

o viajante disse...

estava precisamente a rever os nomes Teixuga e Teixugueira e a acabar de constatar que há quem defenda essa opinião.
que faz todo o sentido.
mas...e as Teixogueiras? será indiferente o "o" e o "u", ou trata-se de um curioso casamento entre "teixo" e "texugo", entre armadilha e animal a caçar?
quanto ao que dizes sobre as bèstas e arcos medievais é um dado conhecido, não sei é se terá tido dimensão suficiente para justificar a extinção do teixo.
um abraço

Miguel disse...

Pois tudo pode ser, de todas as maneiras, aqui é mui comum a vacilação entre "u" e " o fechado" (e as vezes aberto), mesmo mudando uma palavra de pronúncia entre dous concelhos vizinhos.
Uma cousa curiosa (que suponho já saberás, pois eu soube-no pola internet): No lugar das Teixugueiras (paróquia de Sabuzedo de Montes, Concelho de Cartelhe, Ourense) o gentilício é... teixugos!! :-)

o viajante disse...

sem dúvida que é interessante

Gundibaldo disse...

Caros,

Belo post sobre o teixo! Adiciono mais alguns topónimos portugueses referentes ao teixo, recolhidos no tal capítulo da colecção "Árvores e Florestas de Portugal" (vol. 7, Pinho, J.):
- Taxeira;
- Teixe (assinalado com "?");
- Teixedo;
- Teixeiras;
- Teixieirinha;
- Teixo.
No Vol. 5 da Colecção, denominado "Do castanheiro ao teixo" é feita (pelo Prof. F. Catarino) uma excelente apresentação do teixo em Portugal.
Há ainda a questão de "Évora", que a grande maioria dos autores faz derivar de "*eburo", "teixo" em céltico, mas outros autores aventam também a hipótese de "aipora" (Sims-Williams, "Ancient Celtic Place-Names in Europe and Asia Minor").
Na antiga Lusitânia ainda havia a Eburobrittium (Óbidos), importante centro urbano em tempos romanos, e a Eburobriga (Fundão), ambas recentemente (re)descobertas.
Abraço

Gundibaldo

o viajante disse...

obrigado pelo excelente comentário e respectivo contributo.
vou anotar os topónimos sugeridos, com a devida vénia.
como já deve ter reparado, os posts estão sempre sujeitos a actualizações, à mediuda que vou recolhendo novos dados.