quarta-feira, 12 de abril de 2006

Brejos e Brenhas

alguns topónimos referem-se às características bravias da vegetação. são ou foram, em geral, matas ou matagais de onde o ser humano se afastava. aí só cresce ou crescia vegetação silvestre, mais ou menos densa, mais ou menos emaranhada. estes topónimos e seus derivados são muito frequentes em toda a Península, embora mais no norte, e, por isso, também em Portugal e na Galiza:


Boiça - terreno bravio, de mato
Boicinha
Bouça - o mesmo que "Boiça"
Bouças
Boucela - diminut. de "Bouça". o mesmo que "Boucinha" e "Boicinha"
Boucelha
Boucinha
Bouza ou Bouça (Gz.)
Branha ou Braña (Gz.)- o mesmo que "Brenha"? ver comentário de Miguel. provém do latim veranea: "(pasto) de verão".
Breijo (Gz.)
Brejão - é aumentativo de "Brejo"
Brejo (Pt. e Gz)

Brejo das Almas (Br.)- ver Comentário de Jolorib.
desde 1938 "Brejo das Almas" passou a chamar-se "Francisco Sá". que me perdoem os que acham melhor assim, mas "Brejo das Almas" era um achado...

Brejoeira
Brejões
Brejones (Gz.) - o mesmo que "Brejões"
Brejos
Brenha
Brenhas - no Alentejo é hidrónimo
Conceição do Mato Dentro (Br.)
Mata (Pt. e Gz.)
Matadussos - talvez signifique "Mata de Ussos ou Ursos"
Matagal
Matamá
Mata Mourisca (ver também "Mourisca")
Matança (Pt.)- ver "Matanza" (Gz.)
Matancinha - diminut. de "Matança", indicando que Matança vem de "Mata" e não de "matar". ver "Matança" e "Matanza"
Matanza (Gz.) - a casa onde a grande Rosalia de Castro viveu os últimos anos da sua vida, hoje sua Casa-Museu, é a "Casa da Matanza"
Mato Grosso (Br.)
Moita (Gz., Pt. e Br.)
Moita Bonita (Br.)
Moita da Serra
Moitalonga
Moitedo
Moitinha
Moitinhal
Moitinhas
Moitinho
Mouta (Pt. e Gz.)
Moutadas
Moutados
Silva
Silva Escura
Silvao (Gz.)
Silvão
Silvarelhos
Silvares (Pt. e Gz.)
Silvarosa (Pt. e Gz.)
Silveira (Pt. e Gz.)
Silveiras (Pt. e Br.)
Silveirinha
Silveirinho
Silveiro


Nota: sobre "Bouça e Touça" ver o post
ainda sobre "Matas" ver o post

9 comentários:

CarlosLeitaoCarreira disse...

Agradeço a referência no seu blog. Bem haja pela iniciativa.

D'Noronha disse...

Temos no Brasil o estado de Mato Grosso do Sul, rico em fauna e flora, berço do Pantanal.
Ainda, no estado de Minas Gerais, Conceição do Mato Dentro. Não sei se estão inseridas neste contexto.
Abraços.

o viajante disse...

claro que estão.
só não as incluí ainda porque o post está "em construção". de qualquer jeito, obrigado pela atenta colaboração.
aquele abraço desde coimbra

Jo Lorib disse...

Sempre achei interessante o nome desta localidade : Brejo das Almas.
http://www.probrasil.com.br/historia.php3
?CIDADE=55312670
O poeta C.Drumond de Andrade usou como nome de um de seus livros
http://www.cic.unb.br/docentes/pedro
/trabs/jcsbc1.htm
Abraço

o viajante disse...

"Brejo das Almas" é um achado.
obrigado pelos sítios que me indicou.
já sentia a sua falta cá no blogue.
um abraço

Miguel disse...

olá desde a Galiza.
Nom sei se brenha tem a mesma origem que branha (ou vranha), o certo é que agora o significado é diferente, dado que brenha faz referência a lugares com mato entre penas e rochas, lugares mais ou menos fragosos, com penedias. Em troques, branha é um lugar, frequentemente com mato e erva mas sem rochas, caracterizado por manter umha humidade alta durante todo o ano. De feito, a origem esta em que estas zonas húmidas constituiam pastos aproveitáveis no verão. Seriam as "veranias" (opostas aos pastos de inverno ou "invernias"). Em lugares da serra da Peneda, já em Portugal, existe a variante "Branda" para estes pastos de verão. Interessante o que comentas de que numha zona seca como o alentejo "brenha" seja um hidrónimo. Podes explicar com que significado exacto? Obrigado. Por certo, a forma branha, ultrapassa o âmbito galego-português e pode achar-se em toda a montanha cantábrica. Saudinhos.

o viajante disse...

tens razão.
quanto ao hidrónimo alentejano, bom, limito-me a anotar que existe uma ribeira com esse nome. será porque corre entre "brenhas"?

quanto às "Brandas", em Portugal o contrário de brandas é "Inverneiras".

saudinha. volta sempre

Miguel disse...

Obrigado pola resposta. :-)
Por certo, estas férias de Seamna Santa estivem nas Astúrias, concretamente na zona de Somiedo, onde o conceito de Branha esta muito vivo. Recomento a todo o mundo ir alô, a ver as branhas (conjunto de aldeia de verão e pastos de altura), com as habitações às vezes por cima de 1500 metros. As moradas das branhas, sempre cobertas de colmo, chamam-se lá "Cabañas de teito", em astur-leonês occidental. Aqui uma imagem: http://www.picoseuropa.net/fotox.php?codi=1064

Impressionante.

o viajante disse...

obrigado. bela foto. um regresso ao passado muito antigo. aliás, gosto muito das Astúrias. como gosto da Galiza.
um abraço