quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

Os Frades na Toponímia Galego-Portuguesa e Brasileira




tal como os bispados ou dioceses, também os mosteiros de frades e freiras tiveram uma importância histórica fundamental, que se traduziu na concessão de privilégios e territórios dos quais restam vestígios na toponímia.
os mosteiros tiveram, além disso, um papel fulcral no repovoamento e no desenvolvimento de técnicas de agricultura, doçaria, fruticultura, horticultura e pecuária.

porém, nem todos os "frades" são monges. o facto de haver topónimos derivados, incompatíveis com o sentido de "monge", indica que a palavra "frade" de onde derivam teria outro significado. e a existência dos hidrónimos "ribeira dos Frades" e "rio de Frades" parece confirmar essa impressão. por estranha coincidência, "Dona" (e "Donas"), que tamém pode querer dizer "freira", em alguns casos também é hidrónimo.

Aldeia das Donas - ver "Donas"
Aldeia Nova das Donas

Almas de Freire - (?). a questão aqui é o "freire", já que "almas" se refere a "alminhas", "cruzamento". é um "freire" complicado, pois que, se se referisse a um monge, estaria na contramão: o lugar foi de "freiras".

Azenha dos Frades

Bouças Donas - em Portugal ocorre pelo menos duas vezes. topónimo estranho. será Bouças d'Onas? e se for? cf. com "Saldonas" e "Tardonas"

Caminho das Donas

Casal do Frade - povoação muito antiga, do Município de Arganil, onde - há quem diga - se fala "português corretamente, sem qualquer sotaque" (?!). é obra! (tenho que lá ir, um dia destes, no meu vagar, para ver como é isso de falar sem sotaque...)

Chão das Donas
Corte das Donas
Coto do Frade (Gz.)

Curral das Freiras (Madeira) - corresponde a uma antiga cratera vulcânica

Dona (Pt., Gz. e Br.) - os topónimos brasileiros referem-se a antropónimos femininos Dona Fulana, Dona Beltrana). os portugueses e galegos parecem hidrónimos. ver "Ribeira da Dona"

Donas (Pt. e Gz.) - em geral, refere-se a "freiras", mas nem sempre. há "Donas" de origem mais antiga que a presença das freiras. Em Castilla-León e em Castilla-La Mancha existem os topónimos "Dueña" e "Campillo de Dueñas", respectivamente. ora sucede que a forma "Dueña" aponta para uma etimologia diferente de "Doña" (esta, sim, a correspondente à nossa "Dona", no sentido de "senhora" ou de "freira"). "Donas" também pode ser hidrónimo, o que aponta para um parentesco com os hidrónimos europeus "Don", "Danúbio", etc.

Figueiredo das Donas
Fradeira - topónimo sem relação com "frades" monges

Fradellos (Le.) - localidade da Província de Zamora, León, perto de Miranda do Douro. é uma terra muito antiga, onde existe um castro. diminutivo de "frades". que "frades"?

Fradelos - diminutivo de "frades". mas que "frades"?
Frades (Pt. e Gz.)

Fradizela - mais um topónimo em que o "frade" dificilmente teria sido um monge. parece pressupor um topónimo "Fradiça", de que seria diminutivo, topónimo esse que nada tem que ver com monges.

Fratel - a relação com o latim "frater" é muito duvidosa. há um certo consenso sobre reconhecer-lhe uma origem obscura

Freira (Pt. e Br.)
Freiras (Pt. e Br.)
Freire (Pt., Gz. e Br.)
Freiria - (?)
Freirigo - antropónimo germânico: o mesmo que "Frederico"
Freirinha
Freiriz - genitivo de Frederico: "a propriedade de Frederico"
Ilha do Frade (Br.)
Maçãs de Dona Maria - ver post
Oliveira de Frades
Pai das Donas - sobre "Pai" (aldeias) ver post
Pinhal de Frades
Poço da Dona
Ponte dos Frades
Porto Frade (Br.)

Ribeira da Dona - parece um pleonasmo, se "Dona" aqui for hidrónimo: "ribeira da ribeira". ver "Dona" e "Donas"

Ribeira das Donas - aqui "Donas" é hidrónimo. e, então é um pleonasmo. ver "Donas"

Ribeira de Frades
Ribeira de Frades - aqui é hidrónimo
Ribeira dos Frades - é hidrónimo
Rio de Frades - outro hidrónimo enigmático
Saldonas - ?
S. Martinho de Frades (Gz.) - tamém grafado "S. Martiño de Frades"
S. Paulo de Frades
Tardonas - ?
Torre dos Frades
Valado de Frades
Valdonas
Vale das Donas
Vale de Frades
Vila de Frades
Vila dos Frades (Br.)
Vilar de Frades (Gz.)
Vilarinho de Freires
Vitorino das Donas


(...a continuar...)

Um comentário:

Carlota disse...

ola ola. Sou habitante da Aldeia do Casal do Frade e posso comprovar que na nossa região, e falando mais concretamente na realidade que conheço, posso comprovar que aqui se fala sem acentuação/sotaque. Não sou Casal Fradense mas sim de Gois, Já outro concelho mas fronteiriço à aldeia do Casal do Frade. fala-se que o Frade ensinou as pessoas a falar correctamente aqui nesta aldeia e ainda hoje, há pessoas (idosas) que escrevem como o tal Frade ensinou os seus antepassados.Esta informação foi-me dada por uma amiga que afirma que a avó escreve à maneira antiga!!!!