quarta-feira, 2 de novembro de 2005

"Compostela", "Bustos" e "Bustêlo"


o amigo João Lopes Ribeiro (Jolorib), de S. Paulo, deixou o desafio: "e Compostela, qual o significado?" é claro que eu ia falar disso, uma coisa chama a outra, vespeiro chama vespeiro, mas assim levo já a picada.
sabe, o Caminho começa em Aachen (antiga Aix-la-Chapelle, de Carlos Magno), na Alemanha, e termina em Compostela, na Galiza. e o que existe numa e noutra cidade? um túmulo.
"Compostela" existe na Galiza, mas também existe em Portugal. faz parte de uma família de topónimos cujo significado anda em torno de com-bustão, como "Bustos", "Bustêlo", "Compostela", associados a lugares de transformação do vivo em morto e do morto em vida, através de "com-bustão", que pode significar putrefacção ou cremação.
"Compostela" é isso. só que essa "combustão" pode bem ser outra, para quem leu alguma coisa a respeito de Alquimia. e em Compostela, perdão, em "Santiago de Compostela", tudo tem um jeito especial de ter duplo sentido: a "Praça do Obradoiro", a "Rua dos Prateiros", a "Rua dos Ourives", a "Rua dos Azevicheiros", tudo ali em redor da Catedral. o mais difícil será fazer de conta que nada disso tem um sentido, ligado à Obra d'Oiro (Alquimia), à transformação dos metais e à transformação interior que faz tanta gente lá ir. há quem diga que para re-nascer, quer dizer morrer para a vida anterior e nascer para uma vida nova. o túmulo aí é um símbolo.
é claro que uma tal linguagem se presta a interpretações quase ao gosto do freguês..., mas que "Compostela", "Bustos" e "Bustêlo" estão relacionados com com-bustão e com-posto, isso estão.



há também quem fale que "Compostela" vem do latim Campus Stellae: "O Campo da Estrela". pode ser. mas nem assim a gente se livra do Caminho. porque essa tal estrela será a Sírius, da Constelação de Cão Maior, o cachorro que faz companhia a santiago...
e se essa estrela fosse, apenas, o lugar de encontro de todos os caminhos que chegam a Compostela? bom, não seria uma verdadeira "estrela", mas sim uma vieira ou concha de santiago, com suas estrias confluentes num ponto extremo. E não sairemos do Caminho...
a Toponímia é assim.







3 comentários:

Jo Lorib disse...

'E uma pena que o autor brasileiro mais badalado em todo o mundo seja este.Falta qualidade.Acho que os iniciados nas artes esotericas(nao o sou,ja aviso) os ourives , os pedreiros , tem outros melhores para escolher para divulgar seus metodos de destilacao.
Voltando a "Compostela"achei otima a explicacao.Eu ja tinha ouvido falar em campo ou caminho de estrelas mas nao me encaixava muito bem.A sua ideia me parece melhor.Um abraco.

Jo Lorib disse...

Quem escreve um blog quer ser lido,senão guardava numa gaveta com chave.Quem deixa o "comentarios " no blog, quer um dialogo com o leitor.
Mudar o texto apos a postagem do comentario tira o sentido deste.Apagar comentarios anteriores...

o viajante disse...

Tem toda a razão. Vou tentar corrigir.