segunda-feira, 1 de maio de 2006

A Estranha Toponímia da Região de Coimbra



Coimbra, cidade de encontro entre o Norte e o Sul, o Ocidente e o Oriente, manifesta na Toponímia esse encontro secular de civilizações, línguas e etnias. são muitos os topónimos "estranhos", alguns deles sem paralelo no resto de Portugal e da Península.
Coimbra foi uma cidade "moçárabe", o que significa uma espécie de mestiçagem entre um fundo de língua e religião cristãs e um domínio político, cultural e administrativo árabe. mas o fenómeno da mestiçagem norte-sul e leste-oeste, em Coimbra, remonta a épocas muito mais antigas.
tantas são as raridades num raio de 40 km em volta desta cidade, que a todo o momento nos deparamos com a nossa incerteza e ignorância, mas também curiosidade, a respeito de Toponímia


Adémia - ao que parece, é um topónimo de meio rural e significará "uma terra que fica entre monte e várzea", "terreno cultivado", "terra de qualquer cultura". há vários locais que mereceriam esse nome, mas só conheço esta "Adémia"

Alcabideque - palavra híbrida do árabe al- e do latim caput: "a cabeça de água", "a fonte". é a nascente que abastecia de água a cidade romana de Condeixa-a-Velha, identificada como Conímbriga. mais a sul, na região saloia, existe a variante "Alcabideche" com o mesmo sentido

Alcarraques - seria uma povoação especializada no fabrico de alpergatas ou sapatos de lona, uma vez que al-qarraq, em árabe, é "o que faz alpergatas"

Almalaguês - palavra híbrida, al-malaguês, este topónimo há-de ter relação com "Málaga", ou com pessoa ou pessoas de lá

Almas de Freire - significa "as alminhas (cruzamento com "alminhas") de Freire". o problema é este "Freire"

Almegue - do árabe: "porto", "vau", "lugar de onde se atravessa (o rio)". existe em vários concelhos entre o Mondego e o Tejo

Anaguéis -

Andorinha - será um topónimo muito antigo, provavelmente de origem (proto-) euskera

Antanhol -
Antuzede -
Ardazubre  -
Arregaça
Arzila 

Assafarge - esta grafia não será a mais correta. a sua origem arábica impõe que se escreva "Açafarge". no entanto, mesmo de origem árabe, o topónimo pode ter diferentes significados, embora todos relacionados com o mundo rural

Bencanta  topónimo de possível origem árabe
Bendafé
Bom Velho de Baixo
Bom Velho de Cima
Bordalo
Brasfemes 
Buarcos - origem desconhecida.

Cadima  do árabe, significa "a velha", querendo exprimir a antiguidade da povoação para quem lhe deu esse nome. se aqui se falasse tupi-guarani, o nome seria "Aracajú"

Calhabé  nos fins do séc. XIX houve uma figura típica de Coimbra, das muitas que a cidade produziu, que tinha por alcunha "o Calhabé", célebre pela sua devoção ao divino licor de Baco. O nome é provavelmente arbitrário, criação de estudantes boémios. o pequeno lugar de subúrbio, onde havia uma taberna, é hoje uma zona nobre da cidade

Casconha  gente importante diz que "Casconha" virá de "casca". duvido. a terminação -onha,, como em "Bretonha" e "Bergonha", é uma referência étnica. pode estar por "Gasconha" ou "Vascónia": "terra de bascos"

Cioga do Campo - há quem diga que seria "Sioga", de "Sinagoga". outros dizem que é um vocábulo pré-romano, o que parece mais sensato

Cioga do Monte - se "Cioga" fosse "sinagoga", haveria uma no campo e outra no monte, o que me parece forçado e um tanto fora de sítio. ver esse post

Coiço -
Conraria -

Corujeira - este topónimo repete-se em Portugal e na Galiza (onde também aparece sob a grafia "Coruxeira"). muitos há que defendem que resulta da abundância de corujas. o certo é que há mais corujas noutros lugares que não levam esse nome, e há "Corujeiras" onde a coruja nunca piou. penso que, tal como em "Coruche", a origem estará em "cruze": "cruzamento". ver esse post

Coselhas - em documentos medievais aparecem as grafias: Cosilias, Cozelias, Cuzelias, Cozilias e Cuzelas. será variante dialetal de "Casilhas"?

Cunhedo - lugar onde há (muitos) "cunhos" ou "conhos", isto é, penedos. este lugar fica numa zona onde o Rio Mondego corre num leito escarpado e pedregoso, propício à construção de barragens

Degracias -
Ega - topónimo antigo, ainda indecifrado

Ereira - há quem diga que vem do latim, de agraria. tem um porém: fora do leito do Rio Mondego existem terras bem melhores para merecer esse nome

Fala - topónimo ainda indecifrado

Formoselha - só aparentemente é de origem latina. por isso, não creio que deva alguma coisa a "formosura". mais provável é uma origem germânica, que contenha "fruma" (primeiro) e "sindus" (caminho): "estrada principal"? é um topónimo aparentado de muitos outros em "Formose...", "Fermose...", "Fremose...", tanto em Portugal como na Galiza e em León, independentemente da beleza da paisagem

Ingote -
Liceia - este topónimo pode ter origem euskera ou celta, com óbvia diferença de significado consoante a origem. se a origem é celta, pode ser aparentado a "Leixões" e significar "rochedo". se a origem é basca, terá uma raiz "leku" que significa "lugar" (+ ...)

Lôgo de Deus -

Lordemão - de "nordman" (viking)? os vikings foram conhecidos por nordmanni, lormanes e leodomanni . ver aqui.

Orelhudo -

Porto da Raiva - último ponto até onde o Rio Mondego era navegável, antes das obras de regularização do caudal do rio e de irrigação da Região do Baixo Mondego. daí partiam e aí chegavam as barcas serranas e a apreciada lampreia, que marcou a gastronomia da região. correm várias opiniões sobre a origem do topónimo "Raiva". a origem latina, de "rapida" (fortes declives do leito do rio), peca por ser a partir da "Raiva" que deixa de haver esses declives. ouvi, em tempos, uma explicação curiosa: seria "Porto de Arraiva" e não "Porto da Raiva", e quereria dizer "porto até onde se pode chegar" (arribar), "porto de chegada". mas nem tudo o que faz sentido é necessariamente verdade. creio, aliás, tratar-se de um termo pré-romano, euskera ou proto-euskera, pois que "rabia" existe em zonas ibéricas de toponímia basca onde não houve influência do latim. exº: "Fuenterrabia", uma castelhanização de Hondarribia, que em euskera significa "Vau do Areeiro" ou "Vau do Areal"

Poutena - não sei nem encontrei quem saiba o que significa "Poutena", nem a sua origem linguística. sei que no Grego Moderno "poutenà" significa "lugar nenhum", "nenhures". mas isso é em Grego Moderno, e a pronúncia é diferente

Quiaios - tal como "Quimbres" e "Quinhendros", "Quiaios" é uma povoação junto da água, neste caso do mar, enquanto "Quimbres" e "Quinhendros" ficam junto do rio Mondego. é preciso notar que o Baixo Mondego sofreu grandes mudanças ao longo dos séculos e que há dois ou três mil anos teria um aspecto muito diferente do actual, talvez uma grande ria. a primeira parte da palavra, "Qui-", "Quin-" tem uma forte probabilidade de significar "Porto", tanto mais que outras povoações ribeirinhas do Mondego e com características idênticas se chamam "Porto da Raiva", "Porto de Meãs", "Porto Godinho", "Portunhos". (ver "Almegue"). a segunda parte da palavra qualificaria o porto. este trio, talvez pela dificuldade que apresenta, tem sido pouco estudado. será fenícia a origem? de certo sabe-se que existiu uma feitoria fenícia em Santa Ovaia, Montemor-o-Velho. "Quiaios" é uma aldeia de pescadores. a sua população tem, além disso, uma característica genética oriental: é uma zona endémica da "Doença dos Pèzinhos", "PAF" ou, agora que mandam os americanos, "Doença de Machado Joseph"

Quimbres - ver "Quiaios"
Quinhendros - ver "Quiaios"
Raiva - ver "Porto da Raiva"
Reveles -

Souselas - topónimo de difícil interpretação. ver post

Tentúgal - topónimo pré-latino. a terminação -gal sugere uma origem celta

Trevim -

Trouxemil - será topónimo de origem germânica (sueva). Coimbra, e a sua Região, fez parte da Galiza Sueva

Verride - provável origem pré-romana
Zorro -

Zouparria - topónimo intraduzível, de momento, embora a terminação -ia pareça árabe

Zouparria do Monte -

.............................................

3 comentários:

D'Noronha disse...

Caro Jose, deste post não tenho a acrescentar. Só acrescentei.
Gostaria, em um momento oportuno, saber a origem do nome do rio que corta Coimbra: Mondego.

Um abraço e feliz volta pra casa.

o viajante disse...

no post "Hidrónimos ou Nomes de Rios", no Arquivo de novembro 2005, tenho uma listagem, ainda longe de estar complete,de rios e ribeiros de Portugal e da Galiza. tenho lá dois "Monda": o "Al-monda" e o "Mond-ego".
"Monda" é um vocábulo muito antigo, pré-romano, que significa "rio". os romanos continuaram a chamar-lhes o nome que os rios tinham. escreviam "Munda".
um outro rio que nasce na Serra da Estrela, além do Mondego, é o Zêzere - que parece um vocábulo ainda mais antigo que "Mondego" e que também significa "rio".
claro que todos os rios tenhem uma particularidade que os distingue uns dos outros e o seu nome traduz isso, como já vimos na toponimia tupi. mas a antiguidade linguística de alguns hidrónimos não facilita distinguir "Monda" de "Neiva" ou de "Zêzere", por exemplo.
aquele abraço para Florianópolis

rtavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.