sexta-feira, 3 de fevereiro de 2006

Tantas Vezes o Cântaro Vai à Fonte...

...que alguma vez deixa lá ficar a asa. mas não é desses cântaros que vou agora falar. vou falar de rochedos especiais, tipo monovolume, visíveis por exemplo na Serra da Estrela. derivam do tema "cant-", "pedra", e não se ficam por Portugal e Galiza. também aparecem na Cantábria, batizando a região, e nas Astúrias. Cantuária (Canterbury), na Inglaterra, é um topónimo da mesma família. em post anterior ("Serras, Montes e Montanhas") já arrolei alguns destes topónimos na variante "cand-".

alguns exemplos:

Canda (Pt. e Gz.)
Candal (Pt. e Gz.)
Cando (Pt. e Gz.)
Candieira
Candosa
Candoso
Cantanhede
Cântara
Cantareira (Pt. e Br.)
Cantareiras
Cantarinha
Cantarinho (Pt. e Br.)
Cantarinhos
Cântaro Grande
Cântaro Magro
Cântaros
Canteira (Gz.)
Canteiras
Canteiro (Pt. e Gz.)
Santo António do Cântaro
Vale de Cântaro



6 comentários:

Jo Lorib disse...

Encontrei este artigo sobre astronomia Tupi-Guarani que acho que o amigo gostaria de ver.
http://www2.uol.com.br/sciam/
conteudo/materia/materia_89.html
No ultimo paragrafo existe o toponimo "Itacoatiara de Ingá" que achei interessante e gostaria de saber o significado
Abracos desde S.Paulo
PS:Copie o link e cole no campo de enderecos do navegador.

o viajante disse...

"Itacoatiara" quer dizer "Pedra com Escrita", talvez , como diz aqui o povo, "Pedra Letreira". "Ingá" é uma árvore que prefere viver junto dos rios e tem um fruto que os índios conhecem melhor do que eu...
aquele abraço de Coimbra
vou ver o link. obrigado

o viajante disse...

fui ver o link. muito bom. confirmo significado de "pedra letreira", local sagrado de cerimonias tribais de iniciação, tal como cá.
"ingá" aí, no link, é rio. é um rio cujas margens são particularmente abundantes em ingazeiras, como também se diz de forma híbrida luso-guarani.
só uma nota: a semelhança de rituais e crenças é muito grande nos povos de cultura "arcaica". que lhe parece?

o viajante disse...

ainda retornando à "pedra letreira":
as pedras letreiras são bastante frequentes em Portugal e na Galiza. dizem respeito aos costumes astro-religiosos de povos anteriores aos indo-europeus. como tudo o que contém segredo só acessível a quem foi iniciado, as "pedras letreiras" estão associadas à ideia de um tesouro oculto rodeado de perigos. aqui perto, em Góis, há uma pedra letreira a que costuma associar-se esta quadra:
"junto à pedra letreira
há três arcas em carreira,
uma é d'oiro, outra de prata,
outra de peste que mata"
aquele abraço e aquela paciência para me aturar...

Jo Lorib disse...

Existe uma corrente de pesquisadores e arqueologos que sustenta que alem da migração "Clovis"pelo Alaska e o Panamá ha uns 12 milanos e que é a origem dos povos Tupi-Guarani , houve outra mais antiga pelo mar ,30 mil anos atraz vinda de Africa ou Europa em algum tipo de embarcação.Sua argumentação se baseia no sitio da Serra da Capivara , no Piauí .http://www.mre.gov.br/cdbrasil/
itamaraty/web/port/artecult/patrim/
capivara/index.htm
Embora seja um assunto controverso , talvez explicasse a semelhança com as "pedras letreiras" da Europa ,pois eu desconheço esse tipo de inscrição em pedra na Asia.
Concordo que são relacionados com ritos iniciaticos antigos ( e modernos , talvez os mesmos ).
Abraços

o viajante disse...

concordo. plenamente. essa questão leva-nos muito longe, talvez longe demais. as semelhanças com a Europa primordial não deixam de ser um mistério, assim como a ideia mítica da ida (vinda, nesse caso)de um homem branco do oriente...há quem veja nisso
uma prova da existência real, e não metafórica, da Atlântida...
certo é que, com a progressiva deriva dos continentes, já estivemos mais perto. mas isso trocado por anos dá muito ano...