segunda-feira, 27 de fevereiro de 2006

Tem Nome de Árvore Mas Não é Árvore

os topónimos com nome de animais podem não ser, na realidade, nomes de animais (ou zoónimos), mas antes evoluções convergentes de palavras com significado diferente daquele que parecem ter hoje. "boi", "carneiro","lobo" são apenas alguns desses exemplos. o mesmo se passa com topónimos que hoje parecem nomes de árvores (ou fitónimos). alguns já nós encontrámos pelo caminho, como "carvalho" e "pereira".
aparecem outros, como "amoreira", "castanheira", "figueira", "oliveira", "pereira", "sobreira".
são muito frequentes, quer em Portugal quer na Galiza.

muito boa gente tem caído na esparrela de interpretar estes por aquilo que eles parecem, sem ter em conta que muitos outros lugares mereciam o mesmo nome com muito mais propriedade, se o topónimo tivesse o significado que parece ter.

Aboboreira (topónimo associado a elevações, dá nome a várias serras)
Amoreira (por "A Moreira". ver "Moreira")
A Nogueira (Gz.) (ver "Nogueira")
As Moreiras (Gz.)
As Nogueiras (Gz.)
As Nogueirinhas (Gz.) - graf. altern.: "As Nogueiriñas"
Aveleira (topónimo associado a elevações, dá nome a várias serras)
Carvalho (topónimo associado a elevações, dá nome a várias serras)

Castanheira (o nome da árvore é "castanheiro" e não "castanheira". a localização das "Castanheiras" que eu conheço é no início de encostas, com um rio ou ribeiro ao fundo. existe o topónimo "Costaneira", frequente em Portugal e na Galiza, com significado semelhante. são duas formas da mesma palavra. na toponímia castelhana há "La Castaña", por "la costaña", isto é, "uma terra que fica na encosta")

Castanheira de Pera
Castanheira do Ribatejo
Castanheira do Vouga
Castanheiro
Costaneira (Pt. e Gz.) - ver "Castanheira"
Costaneiras
Estrada da Castanheira

Figueira (?) (Pt., Gz. e Br.) (em francês, o nome da árvore é "figuier" e o topónimo é "figuière". no entanto, existe um consenso esmagador em todos os países de língua românica sobre o significado deste topónimo: árvore dos figos. as "figueiras" que eu conheço são lugares planos, habitualmente em cima de elevações. na falta de figueiras a sério, estes lugares estão associados a figueiras lendárias, o que é próprio de etimologias ditas "populares", elaborações a posteriori mais ou menos imaginárias. por outro lado, a tese segundo a qual "Figueira da Foz" será um pleonasmo - "abertura da boca" - tem um porém: a "abertura" - fagaria - só seria aplicável a essa Figueira e sabe Deus com que esforço. mas tem um mérito: procura o significado fora da botânica).
na Catalunha, ao lado dos topónimos "Figueres" existe o topónimo "Figa".
creio que a decifração deste topónimo poderá passar pelo tronco comum aos verbos "ficar" e "fixar"- no sentido de "assentar", "estabelecer morada permanente" (lat. figo, figere, fixi, fictum). teria, pois, um significado equivalente ao de "Póvoa". e seria um topónimo parente dos que contêm o vocábulo "fita", como "Perafita". voltarei a este assunto.

Figueira da Azóia
Figueira da Foz
Figueira de Castelo Rodrigo
Figueira de Cavaleiros
Figueira de Lorvão
Figueira do Guincho
Figueira do Mato
Figueira Redonda
Figueiras de Cima
Figueiró (diminuit. de "Figueira")
Figueiroa (Gz.)
Figueiroá (Gz.)
Figueiró dos Vinhos
Figueiros (Gz.)

Ladeira do Pinheiro (topónimo esclarecedor: é necessário uma "ladeira" para trepar ao "pinheiro")

Macieira (este topónimo costuma ser decifrado como "árvore das maçãs". o que resta explicar é por que razão foram assim designadas estas localidades e não outras possivelmente mais ricas nesse tipo de fruta. tendo em conta o topónimo "Mação", que tem mais a ver com "casas" do que com "maçãs", o mais provável é que "Macieira" signifique "casario")

Macieira de Alcoba
Macieira de Cambra
Macieira da Lixa
Macieira da Maia
Macieira de Sarnes
Montes de Piñeiro (Gz.) - grafia integrada: "Montes de Pinheiro". é um pleonasmo. ver "Pinheiro".

Moreira (lugar onde há casas ou moradias; moraria)

Moreira de Cónegos ( dos cónegos da Colegiada de Stª Maria da Oliveira, Guimarães)

Moreiras
Moreiró (diminut. de "Moreira")

Nogueira (é um topónimo associado a elevações. dá o nome a serras). em Itália, na Calábria, há uma Nocara, a 865m de altitude

Nogueira da Maia
Nogueira da Montanha (é um pleonasmo: "monte da montanha")
Nogueira da Regedoura
Nogueira de Ramuín (Gz.)
Nogueira do Cravo

Nogueiró (diminut. de "Nogueira", está associado a elevações de menor altitude)

O Eido da Nogueira (Gz.)
Oliveira (de "ulveira": lugar úmido, empapado, pantanoso)
Oliveira de Azeméis
Oliveira do Conde

Oliveira do Hospital ("Hospital": Ordem dos Cavaleiros do Hospital ou de S. João de Jerusalém, actual Ordem de Malta)

Oliveira do Mondego
Oliveirinha

O Pereiro (Gz.)
O Piñeiro (Gz.)

Pereira (topónimo associado à existência de pedras ou pedreiras no local)

Pereiro
Pereiró (diminut. de "Pereira")

Pinheirinho

Pinheiro (lugar alto e pedregoso, com "penhascos" ou "penhas". há situações muito particulares em que "pinheiro" é árvore: se se refere às suas características ou ao seu número, como em "Pinheiro Manso" ou em "Três Pinheiros")

Pinheiro da Bemposta - é um lugar elevado, de onde se avista(va) paisagem a perder de vista. apesar da tradição popular, o "pinheiro" é o "pino" (sítio elevado) e não o pinus (árvore)

Pinheiro de Ázere
Pinheiro de Côja
Piñeiriño (Gz.) - grafia integrada: "Pinheirinho"
Piñeiro (Gz.) - grafia integrada: "Pinheiro"

Praia das Maçãs (aqui a praia é "do casario", já que não há maçãs sem macieiras)
Punta Sobreira (Gz.)

Sobreira (como em "Castanheira", há aqui uma subtil mudança de género, já que a árvore é o "sobreiro" e não a "sobreira". assim, o topónimo não deriva de suber - "sôbro", "sobreiro" - , mas sim de supra - "sôbre"). é uma povoação que fica "sôbre" qualquer coisa, uma elevação por exemplo. é equivalente ao topónimo "Sobreposta". no entanto, há quem tenha outras opiniões. que decida a topografia do local!

Sobreira Formosa
Sobreposta (o mesmo que "Sobreira")
Vale de Figueira
Venda do Pinheiro
Vila Nogueira de Azeitão
Vila Nova de Oliveirinha


9 comentários:

homedareia disse...

Alguém me dixo que Pinheiro, de seguro vem de "penha", e eu nascim num O Pinheiro, e certamente que há muita penha, lá.

Obrigado pelo enlace.

o viajante disse...

olá.
tem toda a razão sobre o "Pinheiro".
quanto ao enlace, foi só descobrir o seu blogue: amor à primeira vista.
Castelao estava a pedir continuidade.
parabéns

Jo Lorib disse...

Olá amigo viajante,tenho especial interesse em Mação e Maxiais(esta uma pequena aldeia na Sobreira Formosa que talvez já nem exista mais,como tantas aldeias portuguêsas, terra de meu pai).Nào consegui entender,me esclareça melhor,se possível.
Abraço desde S.Paulo.

o viajante disse...

olá! segundo as indicações de que disponho, não há grandes certezas sobre a origem dos topónimos "Figueira" e "Macieira". No entanto, cada um dos dois grupos tem características próprias, e pode afastar-se a hipótese de que se refiram a nomes de árvores. No caso de "Mação", Maçã", "Maçãs", é praticamente certo que se referem a "mansio", "mansão" - casa. Assim, "Macieira" será "casario".
Quanto a "Maxial", não parece fazer parte do grupo, mas sim referir-se à presença de arbustos e plantas silvestres, próprios para o pasto de cabras e ovelhas. Parece que a grafia correcta será "Machial".
Aquele abraço coimbrão.

Nota:Quanto a "Sobreira Formosa", teve uma evolução engraçada, pois que "Sobreira" é uma povoação que fica "por cima" ("sobre") uma elevação.

o viajante disse...

vai querer visitar esse sítio: www.cm-proencanova.pt

Jo Lorib disse...

Obrigado pela referencia do sitio,tinha lá umas cerejas muito bonitas,hummm
Concordo que Sobreira seja "sobre"pelo que me lembro do local.Aqui no Brasil temos alguns lugares denominados "Alto da Boa Vista"ou "Belavista"este do italiano "Belvedere",creio ser equivalente.
Concordo com Mação.
Quanto a Maxiais,esse "x"meio galego me confunde um pouco.Em qual lingua teria esse significado?

o viajante disse...

Segundo o "Grande Dicionário da Língua Portuguesa", de José Pedro Machado, "Machial" é:
"lugar que tem abundância de plantas e arbustos silvestres, próprios para pastagem. Conjunto de machieiros, que são pequenos sobreiros ou pequenas azinheiras; chaparrinhos".
Não sei se o Dicionário Houaiss traz este termo, um pouco antiquado.
Quanto ao "x", bom, a toponímia portuguesa tem dificuldade em separar o som "ch" do som "x", pelo que tem tendência a escrever indistintamente de uma forma ou de outra. Mas quem sabe até se esse "x" esconde algum segredo. Para já não tenho elementos para ir mais longe.
Aquele abraço.

Capeloso disse...

Olá.
Na comarca do Jalhas, existem duas aldeias com nome de Olveira e Olveiroa, sempre pensei na dificuldade para medrarem oliveiras nessa zona. Evidentemente a origem está em Ulveira, pois o lugar assim é.
Obrigado.

o viajante disse...

obrigado pola excelente achega.