segunda-feira, 20 de março de 2006

Agora é Que a Porca Torce o Rabo



como temos visto, em Toponímia os nomes sobrevivem à língua e à civilização que lhes deu voz. por isso, uma nova camada populacional, uma nova época, uma nova língua, podem fazer com que novas gerações não tenham pelo nome da sua terra o agasalho e o mimo de outras gerações e de outros tempos.
os topónimos em "Porco", "Porca", "Porqueiro", assim criados no caldeirão de povos e línguas que nos gerou, são relativamente frequentes. como no caso do touro, a relação muito especial, sagrada, entre o homem e o porco pode ter feito convergir a evolução de palavras sem nenhum parentesco linguístico.
assim, tendo em conta uma antiquissima tradição do culto dos berrões, de que restam as porcas de Murça, de Torre de D. Chama etc., poderia pensar-se que os topónimos em causa se referissem a esse animal. mas não é assim. uma antiquíssima raiz p-r-k indica a presença de "água".


Barranco do Porco (pleonasmo: "ribeiro do ribeiro")
Chão de Porcos
Momporcão
O Rabo do Porco (Gz.)
Pocariça (?)
Ponte do Porco - como é óbvio, as pontes pedem um rio, ribeiro, regato ou regueiro que lhe passe por debaixo.

Porcalhota (a multidão de novos habitantes chegados à Porcalhota no fim do Séc. XIX já não sabia de onde diabo vinha semelhante nome, tendo pedido ao Rei que lhe desse melhor sorte. ficou então "Amadora")

Porco (Pt. e Br.)- topónimo associado a pequenas ilhas ou ilhéus, a elevações de terreno ou a ribeiros, regatos ou regueiros. talvez haja um denominador comum: a água corrente.

Porcos de Armenteiro
Porqueira (Pt. e Gz.)
Porqueiros (Pt. e Gz.)
Porquinhas
Porquinho
Ribeira do Porco (Md.) - parece um pleonasmo, coisa muito comum na Toponímia.
Serra do Porco
Torre de Porqueira (Gz.)
Venda do Porco


7 comentários:

Confrade disse...

Boa noite, estou a elaborar um pequeno estudo sobre uma aldeia chamada Vale de Porco. Li no seu blog uma referência à raiz p-r-k. Gostava de saber mais pormenores sobre este assunto (nomeadamente, bibliografia para consulta). Obrigado pela atenção. Antero Neto (oretna.oten@gmail.com)

Confrade disse...

Obrigado pela resposta. Fico então a aguardar notícias suas. Gosto bastante do seu trabalho, de que sou seguidor. Fico-lhe muito agradecido pela pista que me possa fornecer.
Um abraço.

josé cunha-oliveira disse...

boa tarde. recebi o seu comentário há dias. não sei ainda como lhe responder, pois tive que mudar de computador e ainda não consegui encontrar a referência que consta do texto. sei que ela existe. logo que a encontre responderei.

josé cunha-oliveira disse...

encontrei uma:
http://www.espeleoastur.as/toponimia/ETIMOPOP.htm

josé cunha-oliveira disse...

é claro que gostava que citasse o meu trabalho. e se me puder oferecer um exemplar do seu estudo ficar-lhe-ia muito grato.

josé cunha-oliveira disse...

não sei se já viu. já respondi.

Confrade disse...

Já vi. Muito obrigado. A sua preciosa contribuição será devidamente mencionada no estudo em causa (já localizei e pesquisei a maior parte da bibliografia disponível). Agradeço que me envie o seu endereço postal para o e-mail que indiquei, a fim de lhe enviar o trabalho, mal ele seja impresso (ainda deve demorar 1/2 ano mais ou menos).
Um abraço.