segunda-feira, 27 de março de 2006

Topónimos Tupi-Guaranis (4)

quando os romanos chegaram à Península Ibérica e à região ocidental galego-portuguesa, as serras, os rios, as planícies, planaltos, cabeços e cumeadas, fontes, veigas, lagos e lagoas tinham já de seu um nome cada. aos romanos coube-lhes arremedar na sua língua própria - o latim - os nomes dos lugares de que iam tomando posse. não deixaram na Toponímia uma assim tão augusta marca, para além das cidades por eles fundadas, como Emmerita Augusta (Mérida), Caesarea Augusta (Saragoça), Pax Julia (Beja) e Aequae Flavis (Chaves). muitas outras cidades tiveram o seu nome latinizado, mas não latino, como Asturica Augusta (Astorga), Bracara Augusta (Braga), Brigantia (Bragança), Lucus Augusta (Lugo), Igaeditania (Idanha). a marca dos romanos não é essa. é terem deixado a sua influência civilizacional e linguística.
o mesmo se passou com os portugueses em África e na Ásia do Sul. Bissau, Guiné, Cabinda, Luanda, Angola, Zaire, Huíge, Huambo, Bié, Zambeze, Rovuma, Moçambique, Goa, Damão, Diu, Macau, Timor e assim por diante, são nomes aportuguesados de topónimos nativos. a nossa influência nessa parte do Mundo foi outra.
assim também no Brasil. o que em si mesmo é natureza, sem a mão do homem, é linguisticamente nativo.

alguns topónimos tupi-guarani (de P a T) e o seu significado em português:

Papuã - "monte redondo". na toponímia portuguesa: "Monte Redondo"
Pará - "mar" (rio muito grande)

Pavuna - de ypab (lagoa + una (preta): "lagoa preta". na toponímia portuguesa: "Lagoa Escura"

Perituba - de piri (junco)+tyba (muito, colecção): "juncal". na toponímia portuguesa: "Juncal"

Pindorama - seria "o país das palmeiras" ou Brasil. mas é um topónimo daqueles de que falava Jolorib. não foi "postado" por índio, mas por um tal de Magalhães. dá o nome a uma cidade do Estado de S. Paulo

Ponta Porã - palavra "cabocla": portug. "ponta"+ tupi "porã" (bonita): "ponta bonita"

Potiguar - "comedor de camarão", "marisqueiro". era o nome depreciativo com que as tribos do interior chamavam as tribos do litoral nordestino, por não terem oferecido resistência aos europeus (portugueses). nesse contexto, tem o significado de "frouxo". no entanto, a população de Natal e do Rio Grande do Norte faz gosto no epíteto

Potinji - de potim (camarão)+yi (água, rio): "rio dos camarões"
Reritiba - de reri (concha)+tyba (muito, colecção): "concheira"

Taba - a aldeia, o povoado. na toponímia galego-portuguesa: "Pai" (palavra plural de pagus), "Vigo", Alcaria", "Caria", "Aldeia"

Tabaínha - palavra "cabocla". de taba (aldeia)+sufixo diminut. português inha: Aldeota, que também é topónimo brasileiro e português

Tabapuã - de taba (aldeia)+puã (alta): "aldeia alta". como "Tábua" e "Taboão"

Taboaté, Taubaté - de taba (aldeia)+eté: a taba a sério, a cidade
Tanhenga - de itá (pedra)+ nheenga (que fala): "pedra falante"
Tijuca, Tijuco - "pântano, paúl"

2 comentários:

JG disse...

Interessantíssimo o seu trabalho. Um destes dias venho cá pedir um post emprestado. Depois você manda a conta :-)))
Obrigado pelo link. Vou retribuir.
Um abraço

o viajante disse...

obrigado.
um abraço